TwitterFacebookYoutubeInstagram

Feminicídio é tema de projeto pedagógico em escola de Palhoça

Violência contra mulher, machismo, sociedade patriarcal foram assuntos trabalhados por jovens da da EEB Ursulina de Senna Castro, em Palhoça, dentro do projeto Cultura do machismo como causa do feminicídio. A ação, que envolveu também a comunidade no entorno, terminou nesta sexta-feira, 8, Dia Internacional da Mulher, com roda de conversa entre os estudantes.

“O projeto versou sobre machismo, sociedade patriarcal e casos reais que não estão distantes das nossas visões. Estamos em tempos de epidemia de feminicídio e essa cultura precisa mudar. É com debates na sala de aula, alicerçados aos problemas da temática que transformaremos essa realidade”, explica o professor Robson Fernandes.

Em sala de aula, foi aprofundado o conceito de feminicídio, caracterizado como crime atos de violência contra a mulher e também a lei federal 13.104/2015, que prevê a prática como circunstância qualificadora do crime de homicídio.

Nas ações externas, os alunos produziram cartazes, realizaram entrevistas e debates com familiares, Polícia Militar e até profissionais da escola. Além de conscientizar a todos, o projeto procurou saber a opinião e o conhecimento das pessoas sobre o assunto.

Os alunos do 1º ano do ensino médio, Jonathas Guilherme Valente, Miqueias Santos Lima, Luís Felipe Campos, Gabriel Monteiro Silva, foram até o Batalhão da Polícia Militar, em Palhoça, para conversar com a equipe. Jonathas afirma que após o trabalho o próprio olhar e as atitudes serão diferentes. “Percebi que as pessoas não consideram tão importante abordarem o tema. São casos trágicos que podem acontecer do nosso lado. Mudei minha percepção e com certeza para mim é uma preocupação a partir de agora”, afirma.