TwitterFacebookYoutubeInstagram

consed BrasiliaO secretário de Estado da Educação de Santa Catarina, Natalino Uggioni, representou o Consed na reunião técnica realizada pela Unesco para apresentação de estudo sobre os impactos da Difusão da Inteligência Artificial na Educação Profissional. O evento aconteceu nesta sexta-feira, 08, na sede da UNESCO, em Brasília.

Em sua fala, o secretário destacou uma preocupação com a formação de professores para a área. “Precisamos ter professores preparados para ensinar os alunos nesse mundo da Inteligência Artificial. Além disso, é necessário despertar nos alunos a vontade, o interesse e o querer se inserir nesse mundo, até por ser essa uma necessidade do país.”

Para Uggioni, esse incentivo ao jovem deve ser feito antes mesmo de sua entrada no Ensino Médio. “Esse trabalho deve começar ainda nos anos finais do Ensino Fundamental, para que os alunos cheguem ao Ensino Médio ambiciosos por esse novo contexto. Atualmente, apenas 8% dos jovens brasileiros têm interesse pela área da tecnologia, o que é um percentual muito pequeno.”

O secretário defende que é preciso conciliar esse estudo da Unesco com o desenho e a fundamentação do Novo Ensino Médio, considerando o itinerário técnico e profissional. “Vejo que o Consed pode se apropriar do assunto para que, como um indutor, em parceria com o MEC e a Unesco, faça o compartilhamento do estudo com as redes. A representante da Unesco vê com bons olhos essa possibilidade.”

De acordo com a coordenadora de Educação da Unesco no Brasil, Rebeca Otero, um dos objetivos da entidade até 2030 é aumentar o número de jovens e adultos que tenham competências técnicas e profissionais para o emprego e trabalho decente. Por isso, esse olhar para a Inteligência Artificial, que está transformando as áreas do conhecimento, além da economia e das indústrias.

Na ocasião, também foi distribuída uma publicação sobre os desequilíbrios entre oferta e demanda de educação profissional técnica de ensino médio