TwitterFacebookYoutubeInstagram

SALA DE AULA SISTEMA PENITENCIÁRIODois alunos da escola do Complexo Penitenciário de Florianópolis, Carlos Renato dos Santos e Julio Moura Melgarejo, foram classificados, respectivamente, em 1º e 2º lugar na Categoria IV do Concurso Nacional de Redação da Defensoria Pública da União (DPU). O resultado final foi divulgado no mês de novembro e o primeiro colocado foi o único do estado, entre todas as categorias, a atingir a nota 100. A categoria IV, que contou com 921 concorrentes em Santa Catarina, é destinada para alunos do 6° ao 9° ano do Ensino Fundamental e do 1° ao 3° ano da Educação de Jovens e Adultos (EJA), em situação de privação de liberdade no Sistema Prisional Brasileiro.

Pela primeira vez, os estudantes da escola do Complexo Penitenciário de Florianópolis, que funciona em parceria com o CEJA Florianópolis, participaram do concurso, com 58 redações inscritas na competição. A 5ª edição da prova teve como tema “Defender Direitos, Evitar Desastres: Como o acesso à Justiça contribui para o desenvolvimento Sustentável”. Os professores mobilizaram a participação dos alunos com discussões e debates durante os encontros do projeto Despertar pela Leitura, assim como nas aulas do ensino regular (Fundamental e Médio). Além disso, a equipe da Unidade elaborou um material complementar de estudos com dicas pontuais de redação e sobre o tema, para que os candidatos pudessem estudar sozinhos antes das produções finais.

Participante produziu 20 redações para escolher uma

O envolvimento dos alunos despertou atenção. Um deles produziu mais de vinte redações diferentes e pediu para que a orientadora escolhesse “a mais bonita”. Outros dois inscritos, que dividem a mesma cela, comentaram com a orientadora: “a senhora ficaria muito orgulhosa se pudesse ver nosso ‘barraco’, não parecia cela e sim uma biblioteca. Era livro na cama, na janela, resumo na parede. Nunca estudei tanto na minha vida, até estou orgulhoso de mim!”.

Tanto a Gerência de Educação da Penitenciária, quanto os professores do CEJA de Florianópolis, tiveram papel ativo no engajamento dos alunos durante todo o processo de produção. O professor Adailson Robalino Leal orientou as duas redações campeãs e sente-se orgulhoso pelo resultado. “Tive a honra de trabalhar com alunos tão talentosos! Eles são bons, interessados, dedicados, inteligentes. Me perguntaram bastante durante os encontros e seguiram as orientações, sendo esse o resultado. Só tenho a  agradecer o companheirismo dos colegas professores, ao CEJA de Florianópolis e a Gerência de Educação da Penitenciária. Agora é só comemorar esse grande resultado. Valeu!”.