TwitterFacebookYoutubeInstagram

Muro EEB Professora Ursulina Senna de Castro cercado 2A sexta-feira foi de reparos em escolas estaduais, depois da tempestade que atingiu a Grande Florianópolis na tarde de quinta-feira, 12. A Secretaria de Estado da Educação (SED) recebeu notificações de estragos em 14 escolas estaduais da região, com registros de alagamento, danos em telhado e forros de PVC, queda de muro, vidros quebrados e interrupção da distribuição de energia elétrica.

Três escolas chegaram a ficar sem energia elétrica e as aulas tiveram de ser suspensas pela manhã na EEB Profa. Marcília de Oliveira, no Bairro Forquilhinha, em São José. A reposição já está prevista para a próxima semana.

A Gerência de Administração da Infraestrutura Escolar foi notificada, acionou as empresas já contratadas pela SED e os reparos começaram a ser realizados nas primeiras escolas ainda na manhã desta sexta-feira, pouco mais de 12h após as ocorrências.Muro EEB Professora Ursulina Senna de Castro queda

A agilização dos serviços é resultado de uma mudança no modelo de contrato de manutenções, realizada no mês de setembro pela secretaria. Em um processo de Concorrência Pública por Registro de Preços para o atendimento por demanda, a SED licitou R$ 257 milhões em contratos para obras de manutenção.

Desde o mês de novembro, problemas com intempéries como a desta quinta-feira, reparos e obras de pequeno porte podem ser solucionados rapidamente, sem a necessidade de abertura de um processo para cada escola afetada.

"Essa resposta rápida às necessidades das nossas escolas atingidas pelo temporal resulta de uma inovação que trouxemos à Secretaria com a nova forma de contratação. Ao ocorrer algum incidente, acionamos a empresa sem a necessidade de fazer um processo licitatório novo, individual, e a empresa realiza os serviços para o pronto restabelecimento no ambiente onde a educação acontece", explica o secretário Natalino Uggioni.

As empresas contratadas são chamadas por demanda, ou seja, com a condição de contratação futura e eventual. Com os menores preços homologados, o processo se tornou mais simples e ágil. As manutenções solicitadas pelas unidades escolares devem ser enviadas às coordenadorias regionais de educação. Um engenheiro fiscal do contrato dará o aval, fazendo com que a ordem de serviço seja emitida pela SED. Isso garante rapidez, inclusive, para casos emergenciais.

Alagamento EEB José BoiteuxEscolas afetadas pelo temporal

EEF Professora Marcília de Oliveira, em São José

EEB Governador Pedro Ivo Figueiredo Campos, Palhoça

EEB Professora Ursulina Senna de Castro, Palhoça

EEB Claudete Maria Hoffmann, Palhoça

Alagamento José Boiteux ResoluçãoEEB Professor Benonívio João Martins, Palhoça

EEB Presidente Roosevelt, Dayse Werner Salles, Florianópolis

EEB Professor Laércio Caldeira de Andrada, São José

EEB Jurema Cavallazzi, Florianópolis

EEB Nossa Senhora da Conceição, São José

EEB Cecília Rosa Lopes, São José

EEB Professora Laurita Dutra de Souza, São José

EEB Edith Gama Ramos, Florianópolis

EEB José Boiteux, Florianópolis