TwitterFacebookYoutubeInstagram

natalino argentinaA Secretaria de Estado da Educação (SED) e a Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) iniciaram nesta sexta-feira, 15, mais um passo para a implementação da Escola Intercultural-Bilíngue de Fronteira e Integral nas cidades de Dionísio Cerqueira (SC) e Bernardo de Irigoyen, na Argentina. Em transmissão virtual, os representantes da parceria fizeram o lançamento da formação de 51 profissionais de educação, sendo 31 brasileiros e 20 argentinos, para propor e acompanhar a formação didático-pedagógica do projeto.

A capacitação inicia nesta sexta e segue até o dia 24 de novembro, com carga horária de 80 horas e incluindo educadores que atuam nas três escolas envolvidas com o projeto e na Coordenadoria Regional de Educação de Dionísio Cerqueira. A formação começará de forma virtual, com a possibilidade de ações presenciais quando encerrar o regime especial causado pela pandemia de Covid-19. O intuito é que os profissionais formados promovam a integração de estudantes e professores brasileiros com os estudantes e professores da Argentina.

O secretário de Estado da Educação, Natalino Uggioni, destacou a agilidade da implementação do projeto desde a visita à Coordenadoria Regional de Educação de Dionísio Cerqueira, em dezembro de 2019 e a assinatura do protocolo de intenções em fevereiro deste ano. Ele afirmou que a SED teve a iniciativa de retomar o projeto que estava em terminalidade e celebrou o início da capacitação dos professores da rede estadual e das escolas parceiras.

“A fronteira que existe, a delimitação física, não pode impedir essa socialização e troca de conhecimentos entre alunos e professores que estamos demonstrando na prática. Com o sucesso da capacitação e das atividades, vamos trabalhar para alcançar os melhores resultados possíveis, os alunos guardarão essa experiência para o resto da vida e poderemos criar um grande exemplo de união entre Brasil e Argentina”, ressalta Uggioni.

Para o reitor da UFFS, Marcelo Recktenvald, o projeto reforça o perfil da universidade para formação de professores. “Queremos desenvolver as competências que os profissionais precisam ter no dia a dia. O envolvimento em projetos dessa natureza é muito relevante para a educação e à comunidade de forma geral”.

Projeto envolve atividades bilíngues entre mais de 300 estudantes

O projeto da Escola Intercultural-Bilíngue de Fronteira e Integral inclui duas unidades de ensino da rede estadual, ambas localizadas na cidade de Dionísio Cerqueira e com aulas em período integral. Enquanto na escola EEB Dr. Theodureto de Farias Souto há uma turma do quinto ano com 10 alunos encerrando o projeto, na EEB Irineu Bornhausen haverá o início do atendimento envolvendo uma turma de 16 alunos do primeiro ano do Ensino Fundamental.

As duas unidades de ensino terão atividades pontuais com a Escuela Bilingue de Frontera Juan Carlos Leonette, localizada na cidade de Bernardo Irigoyen, província de Missiones, Argentina. Cerca de 280 alunos argentinos dos anos iniciais do Ensino Fundamental, matriculados em 13 turmas, participarão do projeto que integrará experiências interculturais da fronteira entre os dois países.

dionisio 2O projeto atende estudantes catarinenses das comunidades que fazem fronteira com a Argentina, localizadas nos bairros Centro e Três Fronteiras em Dionísio Cerqueira. Além disso, é uma experiência de referência para a ampliação da oferta de educação integral em tempo integral, conforme prevê o Plano Estadual de Educação em vigência.

A Gerente de Ensino Fundamental da SED, Paula Cabral, destacou que a formação de professores é um dos pilares do projeto, que tem como foco o desenvolvimento dos indivíduos e a relação deles com o espaço da fronteira. “Queremos mostrar que é possível construir escolas de educação integral não apenas em tempo integral, mas que trabalhe a formação do ser humano em sua integralidade.”

Objetivo de estudar a região de fronteira

Durante a formação, os professores serão estimulados a refletir sobre a necessidade de desenvolver práticas pedagógicas interculturais em fronteira, considerando as peculiaridades geográficas e das relações sociais dessas localidades. Para isso, serão estudados temas contemporâneos previstos na Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e no Currículo Base do Território Catarinense.

A formação busca ampliar e qualificar as experiências dos professores e alunos dos anos inicias do Ensino Fundamental, contribuindo com a diminuição das violências e da vulnerabilidade social. Acompanhar o desenvolvimento da prática docente em região de fronteira e potencializar experiências de intercâmbio intercultural para futuros projetos também estão entre os objetivos da capacitação.