TwitterFacebookYoutubeInstagram

O Conselho Estadual de Educação de Santa Catarina deliberou por unanimidade, na Sessão Plenária do dia 24 de novembro de 2020 a seguinte Moção:

O Conselho Estadual de Educação de Santa Catarina (CEE/SC) vem a público manifestar o mais profundo sentimento de repúdio a mais um caso de racismo contra a população Negra, em específico contra a professora Ana Lúcia Martins, vereadora eleita no último pleito na cidade de Joinville, como também nos solidarizamos com Alisson Júlio, cadeiranteque sofre com a doença genética Atrofia Muscular Espinhal (AME), vereador eleito por Joinville, que sofreu insultos ofensivos e ameaças por ter repudiado as publicações racistas nas redes sociais que foram postadas contra a Professora Ana Lúcia.

Este ato racista e quaisquer outros de natureza preconceituosa maculam a imagem de todos nós Brasileiros e Catarinenses, provocando indignação e perplexidade naqueles que têm ciência de que a cidadania, a tolerância e a fraternidade não têm cor, religião, vinculação partidária: somos filhos da mesma Pátria que nos acolhe gentilmente com todas diferenças que possamos ter, pois nesta Pátria somos todos iguais.

Esta atitude reforça a necessidade de darmos sequência à luta contra a discriminação racial, os preconceitos, de qualquer natureza, e especialmente contra a desigualdade abissal que marca historicamente a população Negra no Brasil. Acontecimentos como este juntam-se a tantos, repetidamente noticiados, e a tantos outros repetidamente omitidos e silenciados. Então, quem repudia esta mazela social não pode se calar, tem que reconhecê-la oficialmente, tem que enfrentá-la vigorosamente, por um lado, manifestando-se e repudiando toda e qualquer ocorrência de racismo ou violência contra a população Negra ou do diferente; por outro lado, tomando as providências práticas necessárias e cabíveis para que a situação seja investigada e os responsáveis penalizados, conforme previsto em Lei.

O CEE/SC expressa a sua solidariedade à professora Ana Lúcia Martins, protestando contra a violência arbitrária a que foi submetida, como também manifesta-se solidário a todos aqueles, conhecidos ou anônimos, que vêm sistemática e repetidamente sofrendo a violência simbólica/estrutural, sobre eles exercidaem virtude de diferenças que lhe são impostas, o que causa danos morais e psicológicos diretamente associados ou decorrente do preconceito.

O Estado de Santa Catarina é um Estado constituído por uma rica miscigenaçãoou mestiçagem de povos e de diferentes etnias.Somos multirraciais e abraçamos a diferença, não somos descendentes de uma única origem, SOMOS FORTES CATARINENSES, como traduz o nosso hino:

“Quebrou-se a algema do escravo
E nesta grande Nação
É cada homem um bravo
Cada bravo um cidadão.”
Conselho Pleno.

Florianópolis SC, 24 de novembro de 2020.

Osvaldir Ramos - Presidente
Gildo Volpato - Vice-Presidente
Antônio Reinaldo Agostini – Secretário

Conselheiros Titulares

Adelcio Machado dos Santos
Alvete Pasin Bedin
Antônio Carlos Nunes
Célio Simão Martignago
Celso Lopes de Albuquerque Junior
Eduardo Deschamps
Felipe Felisbino
Günther Max Walzer
José Ari Celso Martendal
Mariane Beyer Ehrat
Natalino Uggioni
Patricia Lueders
Raimundo Zumblick
Rodolfo Joaquim Pinto da Luz
Sandra Zanatta Guidi
Sebastião Salésio Herdt
Tito Lívio Lermen

Conselheiros Suplentes

Ana Cláudia Collaço de Mello
Débora Carla Melo e Pimenta
Elizabete Terezinha Piotto Kitamura
Flaviano Vetter Tauscheck
Maricelma Simiano Jung
Mário César Barreto Moraes
Simone Schramm